segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Fora Brasil IV - Seleção Nacional 2014-2016, Dream Team!!!

Comissão técnica com a Miss Salão


Técnico: MT

Comissão Técnica: Brahma, Primo, Caju e Santo

Na Linha:
Missa, Gripado, Boca Mole e Decrépto;
Botafogo, Gremista e Justiça;
Primo, Angorá, Polo e Cerrado;
Corredor, Misericórdia e Tuca;*
*(Time de malandro joga com quatorze)

No banco:
Campari, Ferrari, Babel e Caranguejo;

Fora Brasil!!!!!!!


Fábio André Chedid Silvestre
NMConhecimento 


quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

FORA BRASIL 3 - Quem tem medo de Renan et Caterva!??


A coisa mais esdruxula neste momento legislativo do Brasil foi o trâmite emergencial entre Câmara e Senado em menos de 24 horas, do projeto chamado DEZ MEDIDAS CONTRA A CORRUPÇÃO!.
Mesmo porque não precisamos somente de dez medidas contra a corrupção, mas sim de mil!!!
Se já parecia surreal os criminosos políticos votarem uma lei para mitigar seus próprios crimes, pior ainda foi acreditar que tal procedimento, na DEMOCRACIA, teria eficácia imediata, independentemente da manobra dos fabricantes!.
O legislativo propõe e aprova, mas não aplica e executa a lei que fabrica!!! É notório!!!
Porque haveriam de ter medo juízes e promotores corporativos, diante de normas que eles mesmos aplicarão, e que poderão levar às raias do debate da constitucionalidade?
Uma votação legislativa como a que foi vista, entre a Câmara Federal e o Senado, em menos de 24 horas não serve para nada, se não for homologada pelo uso judicial!.
Chega de alarmismo! O resultado da votação na Câmara não produziu uma lei, mas apenas uma confissão de dívida!!!
Juízes, sejam Juízes, já que os canalhas são canalhas!!!!
Dane-se este legislativo comprometido, se não podemos tirá-los agora, não precisamos ouvi-los agora, muito menos acreditá-los agora!!!!!!!!!!
À propósito, Srs. Juízes, Promotores e demais beneficiários de recursos acima do limite constitucional de R$ 33.000,00 (trinta e três mil reais), poderiam devolver as diferenças recebidas, desde a promulgação da Lei do Teto dos Servidores???
De outra maneira não saberemos quem está roubando os tributos que pagamos!!!!!
O Brasil é campeão mundial em normação esdrúxula!
Teto dos gastos públicos para que, se nem respeitamos o teto dos salários dos servidores públicos!!
Que hipocrisia!!!!
FORA BRASIL !!!!!

Fábio André Chedid Silvestre
NMconhecimento


quinta-feira, 17 de novembro de 2016

FORA BRASIL 2 - Quatro cenas, uma só tragédia!!!



Aos cento e vinte e sete anos de idade a "República Brasilis" se esfacela!
Democracia fajuta para um povo fajuta, uma Nação fajuta!
Na ordem internacional o Brasil é fajuta!

Cena 01 EXECUTIVO: Enquanto janta com seis dezenas de Senadores fajutos para impor um teto aos gastos públicos no país, o Mr. President fajuto, Michel Miguel Elias Temer Lulia, convive num mar de privilégios imorais, onde nem os salários da elite funcional consegue ser barrado pela medida de mesmo nome, TETO. 

Cena 02 LEGISLATIVO: Enquanto no Congresso fajuto uma caterva de parlamentares tenta de toda maneira impor ao país a anistia ao CAIXA 2 (enquanto costume nacional histórico e portanto exculpável pela práxis!), uma turba inflamada invade o Câmara dos Deputados, quebra portas e enfrenta policiais, toma a mesa diretora, forma uma corrente humana e brada: Queremos os Generais!!

Cena 03 JUDICIÁRIO: Enquanto o país vive uma crise institucional republicana, a suprema corte fajuta vive momentos de uma ímpar dialética chula entre os pares. Entre Levandowski e Mendes, dois rasteiros jurídicos, um STF imobilizado pela falta de autoridade moral e incapacidade de julgamento eficiente, saturado pelo foro privilegiado de seus clientes. Coisa típica de um Poder da República que burla o teto, justamente com teto, um AUXÍLIO MORADIA, bem teto é teto!?!

Cena 04 EXECUTIVO, LEGISLATIVO e JUDICIÁRIO: Enquanto isto no Rio de Janeiro a capital cultural do Brasil em 24 horas, várias cenas: 
- Confronto entre servidores estaduais e a polícia de choque diante da iminente invasão da ALERJ, que tenta votar um pacote de arroxo orçamentário contra a sociedade, diante da quebra do estado;
- Prisão de dois ex-governadores (Garotinho e Cabral) que deixaram as contas do estado arruinadas pelo excesso de corrupção e concentração de expectativa nos royalties do petróleo;
- Desabam os morros na Serra mais uma vez, desabam as pessoas comuns nas filas infinitas, desaba o estado na lógica corrompida.

Estado fajuta, tragédia anunciada!!!


adjetivo
fa.ju.to
fɐˈʒutu
1.Brasil popular: de  qualidademalfeito
2.Brasil popular: que procura passar por verdadeirofalsificado
3.Brasil popular: diz-se de pessoa que não é digna de confiança


FORA BRASIL!!!!

Fábio André Chedid Silvestre
NMConhecimento



quinta-feira, 10 de novembro de 2016

FORA BRASIL 1 - Nos EUA de Obama a Trump, no Brasil de Dilma a Temer!!!!




Uma eleição democrática!
Alternância de poder crítica e representativa! Republicanos e Democratas, entre centenas de legendas disponíveis!
O Lobby é legítimo!
Um país eficiente (Imagem predominante, poderio bélico predominante, instituições predominantes, moeda predominante)!
Capacidade de impor o peso de sua dívida pública (110% do PIB) ao resto da humanidade!
Nos Estados Unidos da América, de Obama à Trump, o predomínio mundial continua!
Bem ou mal o processo é legítimo!


Uma eleição suspeita!
Alternância do poder comprometida por coalizão! PT e PMDB + PSDB+as dezenas de legendas disponíveis!
O Lobby é escuso e criminógeno!
Um país ineficiente (Imagem periférica, poderio bélico periférico, instituições decadentes e periféricas, moeda periférica)!
Incapacidade de impor o peso de sua dívida pública (66,5% do PIB) ao resto da humanidade!
No Brasil, de Dilma a Temer (ops!!), a decadência periférica continua!
Bem ou mal o processo é ilegítimo!
Dois países contemporâneos, americanos e tão diferentes!
Eles não estão nem aí para a nossa eleição, e nós!? Nos degladiando em verso, prosa e posts em função da eleição deles!
Fora Brasil!!!!

Fábio André Chedid Silvestre
NMConhecimento

quarta-feira, 16 de março de 2016

ESTRATÉGIA NO COMBATE À CORRUPÇÃO !!!!!



A corrupção como fenômeno anticívico só recentemente ganhou foros de interesse na sociedade civil organizada, resultando nas manifestações populares de 14 de março de 2016, sendo as maiores já registradas no país, ao menos em face de temas políticos, nacionais e cidadãos.

Contudo esta grande massa mobilizada, bem como os aqueles néscios, que ainda militam na fé da patologia social do "lulopetismosocialistasidicóide", percebem apenas o aspecto externo de uma reação institucional da República Federativa do Brasil, confundindo e reduzindo isto com as ações ou medidas tomadas pelo competente Juiz Sérgio Moro, mas não são somente ele, nem tampouco o judiciário, os protagonistas desta eficiente atividade persecutória, mas já percebendo a expressão "FORÇA-TAREFA".


Trata-se na verdade de uma estratégia nacional!

No dicionário do Google ESTRATÉGIA é um substantivo feminino:
  1. 1.
    mil arte de coordenar a ação das forças militares, políticas, econômicas e morais implicadas na condução de um conflito ou na preparação da defesa de uma nação ou comunidade de nações.
  2. 2.
    mil parte da arte militar que trata das operações e movimentos de um exército, até chegar, em condições vantajosas, à presença do inimigo.

Assim, falamos de ações coordenadas.

Desta maneira, a "Operação LAVAJATO" é fruto de uma política pública denominada ENCCLA - Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro, iniciada ainda em 2003 no âmbito do Ministério da Justiça, cuja secretaria operacional fica a cargo do DRCI, cuja natureza é:

                               "O Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI), criado por meio do Decreto n.º 4.991, de 18 de fevereiro de 2004, está subordinado à Secretaria Nacional de Justiça (SNJ) do Ministério da Justiça. O Departamento tem como principais funções analisar cenários, identificar ameaças, definir políticas eficazes e eficientes, bem como desenvolver cultura de combate à lavagem de dinheiro. Essas funções têm como objetivo a recuperação de ativos enviados ao exterior de forma ilícita e de produtos de atividades criminosas, tais como as oriundas do tráfico de entorpecentes, do tráfico ilícito de armas, da corrupção e do desvio de verbas públicas. Além disso, o DRCI é responsável pelos acordos internacionais de cooperação jurídica internacional, tanto em matéria penal quanto em matéria civil, figurando como autoridade central no intercâmbio de informações e de pedidos judiciais por parte do Brasil"

A estratégia principal é a de colaboração interistitucional interna e cooperação jurídica externa.

O que nos lembra às cinematográficas e inesquecíveis palavras do herói ficcional, o nosso Capitão (Coronel) Roberto Nascimento, no filme "Tropa de Elite - O Inimigo Agora é Outro":

"O conceito de estratégia em grego strategía, em latim estrategia, em francês stratégie, em inglês strategy, em alemão strategie, em italiano estrategia, em  espanhol estratégia..."


Depois das lições aprendidas com as maquinações de Paulo Maluf no caso dos recursos depositados e não recuparados nas Ilhas Jersey, o Brasil passou de menos de uma dezena de acordos internacionais de cooperação para mais de uma centena hoje, permitindo um amplo espectro de mobilidade jurídica antes desconhecido, coisa também influenciada pelo ONZE DE SETEMBRO.


Falamos então de um novo período na história do Brasil que nestes últimos treze anos revolucionou o controle e persecução de atividades criminosas de escala através da ENCCLA, que reúne mais de sessenta organismos institucionais integrados.


Como bem vaticina o heroico Capitão Nascimento, enquanto na cena final do filme mencionado, a câmera de plano sobrevoa a Praça dos Três Poderes em Brasília:


 "O Sistema é foda!!!!!!!!!!!!"

Mas felizmente agora, é também AUTOPOIÉTICO....!!!!!!!!!!!


Fábio André Chedid Silvestre
NMConhecimento

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Não queremos crescer, somos a anti-China!



Agora, nos estertores de 2015 o Brasil bate seu recorde mais paradoxal, o de arrecadação tributária.
Dois trilhões de reais, para duzentos milhões de habitantes. Dez mil reais por pessoa anual, se a carga fosse isonômica e o despêndio, idem!

Temos o recurso, mas é totalmente mal gerido e mal distribuído (a Federação fica com 75%, os Estados com 15% e os municípios com 10%).

Mas nada neste país é equilibrado, daí seu fracasso como Nação, nacional e internacional.
Em primeiro lugar, não se trata de não sabermos como.
Em segundo, não se trata de não podermos, material e moralmente.
Em terceiro, apenas não queremos, nunca quisemos!

Como não existe o Brasil, mas brasis, todos mandam e ninguém obedece.
Do mais pobre ao mais rico, não há respeito ao pacto constitucional, cada um vive sua vida e se defende como pode. Não somos brasileiros, apenas nós mesmos.
Do mais "sábio" ao mais "tolo", todos podem ser carregados para o mesmo curral e acreditarem nas mesmas coisas, enquanto tudo permanece perdido. Década por década.
A maior carga tributária desproporcional do mundo, os maiores juros reais do mundo, a moeda mais podre e mais valorizada do mundo, os maiores desperdícios do mundo (água, capital e tempo), vícios de um histórico exportador de comodities e importador de modas.

Na visão dos "investidores internacionais", o rebaixamento econômico do Brasil é moral, opções equivocadas:

"Ás vezes se diz que manter um estado de bem-estar social é uma doença de homem rico, mas o Brasil é uma caso perfeito disso sem ter a renda de um homem rico. Para sustentar um governo de grandes proporções , o Brasil aumentou impostos e agora tem uma carga fiscal que equivale a 38% do PIB, a mais alta no mundo emergente e muito semelhante a cargas fiscais em estados de bem-estar social social europeus desenvolvidos, como a Noruega e a França. Essa pesada carga de impostos -pessoais e corporativos imposta a um país relativamente pobre, significa que os empresários não tem dinheiro para investir em novas tecnologias ou treinamento e isso, por sua vez, significa que a indústria não está ganhando eficiência. Entre 1980 e 2008, a produtividade brasileira cresceu a uma taxa anual de perto de 0,2%, enquanto na China foi de 4%. Essa diferença reflete o fato de que a China estava não apenas pondo mais pessoas para trabalhar em fábricas e investindo pesadamente em melhores equipamentos e melhores estradas para distribuir os produtos das fábricas, mas também descobrindo como fazer trabalhadores e máquinas trabalharem de forma mais eficiente. Ao longo do mesmo período, a produtividade na Índia cresceu perto de 3%, e na Coréia do Sul e na Tailandia esteve perto de 2% - uma grande razão de hoje serem três reais ou potenciais nações em ascenção, enquanto o Brasil não é." (Os Rumos da Properidade, Ruchir Sharma. Elsevier. 2011)

Mas o Brasil não quer crescer, apenas manter a estabilidade populista!
Claro, se Deus é  brasileiro e estamos no sétimo dia da Criação, por que deveríamos fazer mais do que descansar?

É que a "baixa taxa de investimento não conduz apenas a terríveis ineficiências. Também significa que a economia pode aquecer a uma taxa muito baixa de crescimento. Se a cadeia de suprimento de uma nação é construída a partir de fábricas envelhecidas e estradas esburacadas, o suprimento não pode acompanhar a demanda, e os preços sobem . Se a nação investe muito pouco em suas escolas e esta produzindo número muito pequenos de trabalhadores bem qualificados então os salários subirão"(idem), tudo leva à nova inflação.

E o Agronegócio? Como consegue manter-se competitivo a níveis mundiais?
Cultura, tecnologia, determinação e necessidade! 

Inútil, em um Estado Pombalino de Economia Populista com esta Nação Conformista!

Bomba Relógio!

Feliz Ano Novo!

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Dois para lá, um para cá!


Na dança espúria do Estado brasileiro, enquanto finge gerir a Nação, um fenômeno clássico é renitente.
O movimento de distribuição do orçamento, baila como em um navio na tempestade, balançando e derramando.
Assim é neste momento de deterioração das contas públicas, especialmente as federais, que mais arrecadam e mais desperdiçam.
Com o impacto da redução de investimentos, a EDUCAÇÃO, bandeira moralizante dos governos Lula e Dilma, foi a área mais severamente atacada.
Agora vê-se claramente que não havia projeto de longo prazo, mas como em tudo um arroubo do gestor da ocasião, confundindo a constância do Estado Constitucional com o Governo Político.
Com os cortes anunciados na educação, o ciclo de investimento acima dos índices de lei terminou, deixando muitos à revelia de uma oportunidade.
Contudo também se observa o ideário demagógico no discurso, "nunca antes na história deste país" investiu-se tanto em educação, como se isto em sí representasse algum ganho real, nos últimos três anos foram 48 bilhões de reais.
Mas basta comparar com o rombo na Petrobrás (sem contar todos os demais desvios), com a corrupção e a condução temerária dos negócios da empresa, 88 bilhões de reais.
Agora nos resta a dízima de sempre, rouba mas faz!?!?, Faz o que? Rouba?....
Dois para o partido, um para o país!!!
Dois para lá, um para cá!!!
Dançamos.


Fábio André Chedid Silvestre
NMConhecimento